Jéssica Augusto, Dulce Félix e Filomena Costa, nomes de topo do atletismo português, já estrearam o tartan da pista do Parque Desportivo de Febres. Apesar de a infra-estrutura ainda não estar totalmente funcional, conquistou elogios por parte das atletas e da equipa técnica.

As três camadas de tartan que compõem a pista do Parque Desportivo de Febres, infra-estrutura há muito desejada mas que tem visto a sua conclusão sucessivamente adiada, já foram estreadas. Nem o facto de ainda faltarem as torres de iluminação e algumas estruturas de apoio impediu a comitiva de fundistas, em estágio em Mira, de treinar no novo recinto. Jéssica Augusto, considerada a melhor corredora nacional da actualidade, foi uma das atletas que “testou” a pista de Febres, tendo aprovado o novo equipamento desportivo: “O piso é óptimo para o nosso treino enquanto fundistas, estava a correr e parecia que estava a levar massagens nas pernas. É pena ser um pouco ventosa”.

Esse é, aliás, um problema recorrente nas pistas de atletismo do País, como esclareceu ao AuriNegra João Campos, coordenador e treinador das atletas ao serviço da Federação Portuguesa de Atletismo. “Muitas das pistas para atletismo em Portugal são extremamente ventosas. É o caso das de Matosinhos, Leiria, Aveiro… Esta não é excepção. Agora em termos do material e da pista em si, temos aqui um óptimo equipamento. Esta é uma pista boa para os fundistas, sobretudo agora, que ainda está bastante sensível ao contacto”. Visivelmente agradado com a pista do ainda por inaugurar (e concluir) Parque Desportivo de Febres, o treinador deixou mesmo uma mensagem às entidades competentes: “Agora é preciso acabar isto. É uma obra espectacular, num local espectacular, mas que precisava de ser apetrechada com algumas estruturas de apoio”.

No “ouro” de Fernanda

João Campos está ligado ao atletismo desde Novembro de 1942, já lá vão quase 40 anos. Tem sido responsável pelo treino de Dulce Félix (atleta do Maratona Clube de Portugal que recentemente bateu o recorde nacional de meia maratona), Filomena Costa, do Sporting Clube de Braga e Jéssica Augusto, que corre pela Nike. As fundistas estão a preparar o Campeonato Ibérico de 16 mil metros, já em Abril, e as maratonas de Londres (Jéssica) e Viena (Dulce). O técnico que agora passou por Febres tem no seu vasto currículo profissional o treino de uma das maiores atletas portuguesas de todos os tempos, Fernanda Ribeiro, duas vezes medalhada em Jogos Olímpicos, em 1996 com ouro e quatro anos depois com bronze. “Só não estive com a Fernanda na primeira medalha ainda enquanto júnior. De resto, acompanhei-a em todas as 26 medalhas que conquistou”.

A passagem destes atletas de alta competição por Febres deixou os representantes do Município de Cantanhede naturalmente satisfeitos. António Pinheiro, vereador com o pelouro do Desporto, congratulou-se com a escolha do recinto de Febres, salientando que esta é uma estrutura “que pretende acolher todos os atletas que nos queiram visitar, permitindo que aqui encontrem condições para praticar atletismo ao mais alto nível”. O autarca foi mais longe, acrescentando que a autarquia espera um dia “acolher a própria Selecção Nacional”. Quanto à conclusão das obras, continua a não ser avançado um prazo, mas o responsável assegurou que “está para breve”. | FC

 

Anúncios