Foi em clima de festa que a Secção de Atletismo da Gira Sol/Ramos Catarino assinalou o encerramento da época 2009/2010, uma temporada brilhante em que os atletas da equipa de Febres conquistaram os melhores resultados de sempre. Num jantar convívio, a “família” da Gira Sol reviveu o passado, estipulou metas e confessou sonhos, numa altura em que se vislumbra a conclusão do Parque Desportivo.

Volvidos oito anos de muito trabalho e dedicação, a Secção de Atletismo da Gira Sol / Ramos Catarino é já uma das principais equipas portuguesas da modalidade, e os resultados da última época atestam que a equipa da Associação de Desenvolvimento de Febres não pára de crescer, sendo mesmo o único emblema do distrito de Coimbra a competir no Campeonato Nacional da 1.ª Divisão.

Na temporada passada, o trabalho dos atletas da equipa de Febres foi notável ao ponto de terem alcançado o quinto lugar na Iª Divisão Nacional de Clubes (pela equipa masculina) e batido todos os recordes em matéria de medalhas e pódios conquistados. Em números, os atletas da Associação conseguiram qualquer coisa como 336 medalhas – duas internacionais, 34 nacionais (sete foram 1.º lugar), 26 inter-regionais e 264 distritais.

Uma época gloriosa em virtude dos resultados conseguidos, os quais foram assinalados num jantar festivo que juntou cerca de 150 pessoas, na passada sexta-feira, dia 3, no “Allegro” em Febres, uma iniciativa que quis reunir a família da Gira Sol numa homenagem aos atletas e familiares, técnicos, dirigentes e patrocinadores.

Metas e sonhos

Vitor Catarino, Presidente da Direcção da Gira Sol, agradeceu a excelente prestação da equipa e o contributo de todos os que concorreram para os êxitos somados, sublinhando que os atletas da Gira Sol /Ramos Catarino competem “em pé de igualdade com os grandes clubes de Portugal e com alguns dos melhores atletas a nível mundial, como Francis Obikwelu, Naide Gomes e Nélson Évora”.

Prudente, Vitor Catarino, que é também Presidente do Conselho de Administração da Ramos Catarino, a principal patrocinadora do clube, traçou metas para a época que se avizinha, as quais passam por a equipa conseguir, efectivamente, ser uma das melhores equipas nacionais. “Mesmo tendo ficado em quinto, não estamos ainda entre as cinco melhores e queremos lá chegar”. Depois, o dirigente reafirmou o sonho de ver a Gira Sol conseguir apurar, pelo menos, um atleta olímpico para Londres-2012.

Continuar o trabalho de captação e formação de jovens, voltar a atingir o apuramento para a Iª Divisão das equipas seniores, masculina e feminina, em pista coberta e em pista ao ar livre, e tentar vencer o Campeonato das Beiras, são outros dos objectivos traçados para a Gira Sol / Ramos Catarino, que conta com 122 atletas, 70 dos quais nas camadas jovens.

Parque Desportivo “concluído brevemente”

Como essencial à prossecução das metas do emblema de Febres surge a conclusão do Parque Desportivo de Febres, infra-estrutura onde as obras têm sofrido sucessivos atrasos e cuja finalização é cada vez mais urgente, quer para os atletas da Gira Sol quer para outras ambições da Freguesia, como é o caso, por exemplo, do Febres Sport Clube (FSC) que nesta época competirá na Divisão de Honra da Associação de Futebol de Coimbra.

Por motivos de força maior, João Moura, Presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, não esteve presente no encontro, mas enviou uma mensagem a todos os presentes, que foi lida, na íntegra, durante o serão. “Contamos ver concluído, brevemente, o Parque Desportivo de Febres”, prometeu o autarca na missiva, na qual enalteceu a ambição e o empenho da equipa. “Não pretendo escamotear os atrasos na execução da obra, apenas quero dizer-vos que estamos a envidar todos os esforços para que ela seja terminada rapidamente”, reforçava a mensagem.

“Será um factor de desenvolvimento da modalidade e da Freguesia”, sublinhou, por seu turno, o Presidente da Junta de Freguesia, Carlos Alves, defendendo que, com o Parque concluído, “a Gira Sol poderá levar ainda mais longe o nome de Cantanhede”. Vislumbra-se, assim, a conclusão do Parque Desportivo, nomeadamente com a colocação de uma pista de tartan e o acabamento de todas as estruturas.

Pista trará provas para Febres

Já antes, Vitor Catarino frisara a necessidade da conclusão desta infra-estrutura onde se insere um dos maiores projectos da Gira Sol, o Pavilhão Multi-Usos a que foi dado o nome de Fausto Correia, em homenagem ao eurodeputado precocemente falecido em Bruxelas e que muito apoiou o projecto.

A aguardar co-financiamento estatal, o Pavilhão Multi-Usos é um dos maiores sonhos por concretizar da Gira Sol, tendo o Presidente da Direcção garantido que “se o Estado não nos apoiar, estamos em condições de afirmar que temos recursos para que, pelo menos, o pavilhão desportivo seja construído, devendo estar pronto dentro de cerca de um ano”.

Novidades em noite de festa, e uma oportunidade para Jorge Carvalho, da Comissão Administrativa da Associação Distrital de Atletismo de Coimbra (ADAC) deixar um apelo: “Não temos nenhuma pista em condições no distrito e sabemos que, por isso, não pode haver provas oficias em Coimbra. Também nós [ADAC] ansiamos pela conclusão da pista de Febres”. Reafirmando o apreço da associação pelo clube de Febres, Jorge Ca-rvalho deixou a garantia de que, quando houver pista, será na vila que terão lugar “grandes realizações desportivas de âmbito nacional”.

Num serão especial, treinadores e alguns atletas foram distinguidos e foi cantado, pela primeira vez em público, o hino da Associação, com letra de Fernando Santos e música de Hilário Petronilho. Em vésperas de nova temporada, o futuro é auspicioso, como evoca o cântico oficial: “No horizonte surge, num raio de sol/ Um glorioso e magnífico sinal/ símbolo vitorioso da Gira Sol/ Nosso orgulho e honra de Portugal”.