Foi numa Suécia ainda coberta de neve que Ivo Ferreira e a restante comitiva da Selecção Nacional de Pista Coberta da ANDDI (Associação Nacional de Desporto Para a Deficiência Intelectual) brilharam alto. Quinze medalhas na bagagem e o orgulho de ouvir “A Portuguesa” tão longe de casa.

Medalhas, há para todos os gostos: cinco de ouro, tantas quantas as de prata e de bronze. Foi uma prestação de sonho, a da delegação portuguesa no 6.º Campeonato do Mundo de Pista Coberta INAS-FID (International Federation For Sport For Athletes With An Intelectual Disability), dias 16, 17 e 18 passados.

No “mundial indoor” que decorreu em Bollnäs, específico para atletas com deficiência intelectual, participaram cerca de 250 atletas oriundos de dezoito países. Esta foi a primeira competição da modalidade para atletas especiais, após a reinclusão da deficiência intelectual no programa paralímpico de Londres 2012, sendo um excelente ensaio para testar o potencial da “Selecção das Quinas” nessa importante prova.

Os melhores do mundo

A equipa lusa, constituída por dezassete elementos e seleccionada por José Costa Pereira, esteve em grande, vendo o esforço dos seus atletas coroado com a vitória absoluta na competição. Além dos triunfos individuais dos atletas, Portugal alcançou a vitória colectiva, sendo Campeão do Mundo em ambos os géneros, feminino e masculino.

O Seleccionador Nacional assumiu que “os objectivos iniciais foram totalmente superados, quer no número de medalhas, quer nas vitórias colectivas, completados pelo alcance de um recorde do mundo. Toda a equipa volta, assim, a Portugal com o ânimo muito elevado”.

Ivo Ferreira, atleta da Gira Sol/Ramos Catarino, é um dos desportistas “em estado de graça”. Aos 25 anos, subiu ao pódio no mundial, ao conquistar a medalha de bronze nos 3.000 metros marcha, com o tempo de 14’55”07. Ao AuriNegra, Egídio Bernardes, seu treinador, revelou que “ele estava a trabalhar para isso. Mas, de qualquer forma, não esperava tanto”.

Apesar do excelente desempenho, Ivo Ferreira não pretende descansar à sombra dos louros, estando já com o pensamento em provas futuras. “Ele está muito bem, muito entusiasmado. É uma motivação para a Taça de Marcha em Rio Maior, já no dia 1 de Maio”, confidencia Egídio Bernardes.


Anúncios