A Gira Sol/Ramos Catarino estreou-se na I Divisão do Campeonato de Clubes de Pista Coberta, tendo sido a primeira equipa no distrito de Coimbra a estar presente naquela competição. O atleta José Martins falou com o AuriNegra sobre esta experiência que encheu de orgulho todo o plantel.

 

As provas de atletismo da I Divisão de Clubes em Pista Coberta correram bem aos atletas da Gira Sol/Ramos Catarino, que pela primeira vez participaram naquela competição e conseguiram somar 49 pontos.

A ala masculina da equipa de Febres voltou mais uma vez a destacar-se ao lado de equipas como o Sporting Clube de Portugal e o Sport Lisboa e Benfica, conquistando o sexto lugar e tendo ficado a apenas um ponto da quinta posição.

Para José Martins, que corre pelas cores azul e amarelo da Gira Sol/Ramos Catarino há várias épocas, “a classificação foi boa mas soube a pouco, pois ficámos a apenas um ponto do quinto lugar”, considerou.

O atleta, que também se destacou individualmente ao ficar em terceiro lugar nos 800 metros, acredita que numa próxima época a equipa “pode fazer ainda melhor”.

“Se tivemos capacidade para alcançar o sexto lugar, vamos conseguir ir mais além”, defende, salientando que quando chegou à equipa na época de 2003/2004 “a Gira Sol/Ramos Catarino competia na III Divisão Nacional”.

Questionado sobre o sentimento da equipa ao conseguir alcançar a I Divisão em Pista Coberta, José Martins salientou a satisfação de todos.

“A Gira Sol/Ramos Catarino é uma equipa humilde, onde não há grandes estrelas. Há sim um espírito de grupo muito forte, sendo uma equipa homogénea. Sofremos e vibramos todos com os resultados uns dos outros. Naturalmente que é uma grande satisfação para todos nós chegar à I Divisão. O atletismo é um desporto de muito sacrifício e quando se atinge um lugar de destaque, todo o esforço é recompensado”, defendeu José Martins.

Já quanto ao facto de ter tido uma das melhores prestações naquela prova, o atleta de 23 anos, admite que não se envaidece.

“Sinto-me bem por ter ajudado a equipa a ficar em sexto lugar, mas a minha prestação dá-me força para treinar mais, para melhorar”, assegura o também estudante de Engenharia e Gestão Industrial.

E apesar de esta ter sido a primeira vez que a equipa masculina da Gira Sol/Ramos Catarino esteve presente na I Divisão de Pista Coberta, o mesmo não acontece com a prova de Pista de Ar Livre.

“Se tudo correr bem, este será o quarto ano que vamos competir na I Divisão de Pista ao Ar Livre. A crença de toda a equipa é que podemos e temos capacidade de chegar à I Divisão, mas também sabemos que é difícil, porque há equipas de valor na mesma corrida”, frisou.

Defendendo que o atletismo é um “desporto de paixão”, José Martins elogiou o trabalho da associação Gira Sol em apoiar a modalidade.

“A equipa da Gira Sol/Ramos Catarino tem crescido de uma força sustentada, graças também ao estímulo do presidente da associação, Vítor Catarino. Mas entristece-me a existência de algum desprezo da sociedade em geral face ao atletismo. As pessoas ainda não deram o devido valor a esta modalidade e à equipa da Gira Sol/Ramos Catarino, que está entre as melhores a nível nacional com atletas da região. Esta equipa deve ser um motivo de orgulho para Febres, para o concelho e para o distrito”, concluiu.

II Divisão de Pista Coberta

Já a equipa feminina Da Gira Sol/Ramos Catarino competiu na II Divisão do Campeonato de Clubes de Pista Coberta. As atletas de Febres destacaram-se ao ficar na segunda posição, somando 80 pontos.

As prestações de todos os atletas foram fulcrais para tais resultados, revelando mais uma vez todo o esforço e empenho da equipa, tanto masculina como feminina.

About these ads